Perfil
A oportunidade de um estágio não remunerado me levou à TV Metrópole, emissora ligada à extinta Rede Manchete de Televisão, em Campinas, interior de São Paulo, em abril de 1987. À época, com 17 anos, estudava Jornalismo na PUCCAMP e auxiliava nas tarefas da redação, estúdio e externa. Em junho daquele ano, num feriado de Corpus Christi, gravei a primeira de minhas matérias. Nada genial: o movimento na rodoviária local, estradas e ferrovias. Eu a faria algumas dezenas de vezes depois, em outros feriadões.

Dois anos depois, em 1989, fui transferido para a TV Manchete de São Paulo, onde fiquei até me mudar para Portugal. Conclui meus estudos na Escola Superior de Jornalismo do Porto em julho de 1992 e regressei para a Manchete.

Em 1993, comecei a trabalhar para a Rede Globo, inicialmente, em São José dos Campos, interior paulista, e, depois, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Fui repórter especial da Central Globo de Jornalismo por quinze anos, durante os quais me dividi entre o Jornal Nacional, Globo Repórter e Fantástico. Nos últimos três anos, dediquei-me exclusivamente ao Fantástico como repórter e editor.

Levantamento feito na Central de Documentação da Rede Globo mostra que, de 1993 a 2007, assinei um total de 1003 reportagens para a emissora. Além das matérias gravadas em vinte e cinco estados brasileiros, fiz coberturas na Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Honduras, República Dominicana, Estados Unidos, França, África do Sul e Antártida.

Mudei de emissora em maio de 2008. Ainda no Rio de Janeiro, participei da criação do Núcleo de Reportagens Especiais da Rede Record. A função do Núcleo era produzir, gravar e editar séries de matérias para o Jornal da Record, bem como reportagens especiais para o Domingo Espetacular. Levei parte da equipe com a qual trabalhava na Rede Globo e, ao longo de um ano e meio, ajudei na formação de novos produtores, editores e cinegrafistas. Pelo Núcleo carioca, viajei para os Estados Unidos, República Dominicana, Rússia e Canadá, onde cobri as Olimpíadas de Vancouver – a primeira grande cobertura dos Jogos de Inverno da televisão brasileira.  

Em agosto de 2010, assumi o cargo de correspondente da Rede Record em Nova York. Além da cobertura de fatos de relevância internacional, gravo matérias e séries especiais no interior dos Estados Unidos, Canadá e México. Participei da equipe enviada ao México pela Rede Record para a cobertura dos Jogos Panamericanos de Guadalajara.

Permaneço inquieto em busca de novos desafios, certo de que o bom jornalismo dá audiência, credibilidade e, sobretudo, zela pelas liberdades individuais do cidadão e pelo Estado de Direito Democrático.

Esse perfil será atualizado com frequência.
Todos os direitos reservados - 2012 Vinícius Dônola
|
Contato